5 passos para um benchmarking assertivo!

Tempo de leitura: 3 minutos

Benchmarking é um processo de estudo de concorrência, podendo ser uma análise profunda das melhores práticas usadas por empresas de um mesmo setor que o seu e que podem ser replicadas no seu empreendimento. Entre seus benefícios estão a redução de custos, aumento na produtividade e ampliação na margem de lucro.

Muitos empresários sonham em ter suas empresas prosperando, com um sucesso duradouro e sustentável. Contudo, não basta mais buscar excelência nos processos se não houver parâmetros e referências do que é perfeição.

Na busca para promover o crescimento e sucesso de um negócio, é bastante comum ver empresários terem dificuldade de elaborar formas de vencer a concorrência, de aumentar a produtividade e a eficiência dos processos.

Uma forma bem simples de resolver esse problema é através da prática de benchmarking. É uma técnica desenvolvida e muito utilizada por indústrias para monitorar a concorrência, comparar o desempenho de resultados e melhorar a eficiência de processos.

Quer entender melhor? Continue conosco e descubra os 5 passos para um benchmarking assertivo.

1 – Análise interna

O primeiro ponto é olhar para dentro de sua própria empresa, conversar com seus colaboradores e analisar o ambiente interno.

É preciso entender quem sua empresa atualmente é, como todos se sentem e qual o desejo coletivo e individual de cada um.

Isso é crucial para saber se você está trabalhando bem ou mal os pequenos detalhes. Afinal, sem acertar no micro, como será possível melhorar o macro?

2 – Identificar seus concorrentes

Esse é o momento de identificar quem são os seus principais concorrentes direto e começar a monitorá-los.

É um momento crucial dentro da estratégia de benchmarking para garantir que você está escolhendo as empresas corretas para cuidar.

3 – Escolher indicadores de análise

Depois de mapear os seus concorrentes, é hora de escolher quais indicadores são importantes de acompanhar.

Quais a sua empresa julgam essenciais para serem otimizados. Para ajudar na missão, crie uma tabela e preencha os aspectos que você deseja analisar, com pontos positivos e negativos dos concorrentes.

Alguns KPIs que podem ser observados das empresas que você considera fortes concorrentes:

Qualidade do conteúdo gerado;
Presença e desempenho nas redes sociais;
Preços;
Inovações;
Entre outros.

4 – Analisar o que foi mapeado

Depois de definir os indicadores importantes, é hora de analisar os dados obtidos. Compare como está a concorrência e como você está em cada item.

Entenda as relações que os dados têm, saiba identificar os contextos para não concluir nada de forma precipitada.

Também identifique o que é relevante e o que não é e o que pode ser alterado e o que não pode.

5 – Implementar e monitorar as melhorias

Depois de identificar o que precisa ser feito, é a hora de colocar a mão na massa! Defina com seu time de marketing as ações, implemente métodos ágeis e aprimore o conhecimento interno.

Além disso, mantenha reuniões constantes de feedback para monitorar o que vem sendo feito e, se preciso, aprimorar os processos. E lembre-se de criar relatórios onde todos possam consultar e avaliar o que é feito.

CONCLUSÃO

Para colocar tudo o que explicamos acima em prática, você pode seguir algumas etapas:

Estude a sua própria empresa e defina quais processos ou práticas você quer melhorar;
Defina os tipos de benchmarking que você usará;
Pesquise empresas que possam ter passado pelo mesmo desafio ou que são referência no processo que você deseja aperfeiçoar;
Deixe claro os motivos pelo qual escolheu a empresa;
Obtenha os dados para análise;
Finalmente, compare e analise as informações coletadas.
A partir disso, busque localizar pontos altos e baixos e estabeleça planos de ação para executar as melhorias.

Gostou? Então bora praticar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *